terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Cacos

Um frasco cai no chão. Apenas mais um frasco, empurrado, por um acaso, para longe da mesa. Dentro dele apenas o seu asco, ao cair, ele gira no ar. Enfim, jogando para todos os lados um número de cacos e, do chão, ergue-se o odor da lembrança do perdão que dei sem que você merecesse. O seu casco pisando o chão. Um frasco em cima da mesa e você sorri ingrata. Jogo-o no chão, com uma cara de espanto, já você não se surpreende com nada, continua com seu olhar, daqueles que não sentem remorso, de quem já acabou muitos, e não pisca com o som do vidro espatifando, afinal, já está tão acostumada à destruição. Já desisti do perdão de instantes atrás. Fita-me, mas, eu não tenho coragem, fico apenas esperando você terminar, depois sair e desaparecer.

Um comentário:

Simone Schuck disse...

Vai ver você sente prazer em se sentir O Chato.